quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Para quê servem os mitos?


Matrix - Neo encontra o Oráculo: "há uma diferença entre conhecer o caminho e trilhar o caminho"

Para quê servem os mitos - comentários em áudio - 01:25 by eduardospohr
No post anterior, pegamos carona na erudição de Joseph Campbell para discutir como surgem os mitos. Hoje, continuaremos imersos nos ensinamentos do simbologista para entender:

PARA QUÊ SERVEM OS MITOS?

Já vimos que os mitos são conjuntos de metáforas e códigos usados para expressar, de forma simbólica, os mais profundos medos, conflitos e desejos humanos.

Símbolos e códigos existem justamente para serem decodificados. A grande jogada é que cada um decodifica à sua própria maneira. Isso é relevante porque o verdadeiro significado daquela mensagem transcende a palavra. O seu estado emocional, índole e personalidade vão determinar como a mensagem é traduzida.

Star Wars - O vilão é geralmente aquele que tomou as decisões erradas.

Guias de viagem - Os mitos servem como diários de viagem, que nos mostram os caminhos que outras pessoas percorreram para superar os inevitáveis traumas e triunfos da vida. Se você souber interpretar essas dicas, terá mais facilidade de lidar com suas próprias perdas e sucessos – e agir corretamente como um ser humano em sociedade.

HERÓIS COMO MODELOS

Você já se deparou com uma situação difícil que te fez lembrar uma cena de filme, ou um trecho de livro? Melhor: decisões ou ações tomadas por um personagem já te ajudaram a encontrar a solução para algum impasse?

Isso acontece comigo direto. Luke Skywalker foi um exemplo durante a minha adolescência; as decisões do capitão Kirk me auxiliaram a resolver problemas com a minha equipe de trabalho; Neo me ensinou que “eu escolho o meu próprio destino”.

Star Trek - Capitão Kirk na ponte da Enterprise: como liderar uma equipe
A idéia é essa - A função dos mitos é fornecer modelos às pessoas, apresentando situações que inevitavelmente surgirão em nossas vidas, e sugerindo soluções. Como o herói vai agir? O que ele vai fazer? Qual o ensinamento que podemos tirar disso? E o vilão? Como NÃO devemos agir e o que NÃO devemos fazer? Quais são as conseqüências?

MITOS HOJE

No passado, aqueles que compilavam e registravam os mitos eram geralmente os sacerdotes, xamãs ou místicos. É claro, já havia artistas, sempre houve, mas um mito não é simplesmente uma história: ele tem que estar perfeitamente sintonizado com os anseios da sociedade em questão.

Hoje, o curioso é que em muitos casos esse papel se inverte. Vários mitos, especialmente na religião, permanecem estáticos e ultrapassados – não se reinventaram aos novos tempos, e por isso perderam muito de sua capacidade de se comunicar com as novas gerações.

Gladiador - Guerreiros sobrevivem porque lutam unidos.
Por outro lado, as obras literárias e cinematográficas, em constante mudança e adaptação, por vezes tocam o público de forma ainda mais profunda, mesmo quando todos sabem que aquela é tão somente uma obra de ficção.

O que nos faz refletir - o que realmente vale? A veracidade do mito ou o significado da mensagem que ele passa?

» Leia o post anterior: “Como surgem os mitos”



O Império Contra-Ataca - Luke se recusa a juntar-se ao mal, mesmo diante da morte

15 comentários:

Nocturno disse...

Eduardo, parabéns pelo post!

Não acredito que a veracidade realmente tenha importância e sim o que o mito tem a ensinar, se é algo bom ou ruim.

A sociedade carece de mitos(bons) e junto a falta de mitos, carece de valores, de base..



Daniël FL - Americana/SP
@danielfl

Rômulo de Oliveira disse...

Muito bom post Eduardo Spohr, num workshop com o ilustrador Montalvo Machado, ele fez questão de nos mostrar o livro do Joseph Campbell, O Poder do Mito, e ressaltar a importância dessas figuras com nossas escolhas e indole.

nachsieben disse...

E o Vader tira onda e luta com uma mão amarrada nas costas... Piece of cake!
Ah sim, alguns mitos ainda tentam surgir por aí, veja a quantidade de textos ou citações atribuídas a cientistas e escritores (e que não necessariamente foram os autores).

DOM-X disse...

@Edu Spohr

Caraca mané , muito boa essa sua ideia da leitura dos comentarios em audio.
Acho q vai acabar nascendo um novo podcast...
Poderia se chamar : PodComentar , ComentariosPod , FilosofiaCasting , correio filosofico e etc...
É isso ae dudu , pensando o impensavel ^_^

Leandro disse...

"...um mito não é simplesmente uma história: ele tem que estar perfeitamente sintonizado com os anseios da sociedade em questão"

No caso, isso explicaria o sucesso dos anti-heróis nos dias de hoje?

eduardospohr disse...

Galera, vou responder (tentar) e comentar cada comentário do post em áudio depois, então não vou dar reply por aqui. De qualquer maneira, valeu pela força.

Estou usando o Audacity para editar os áudios. Na verdade, ainda não editei direto nada. Alguém usa este programa e pode me dar umas dicas? Ou tem outro melhor?

Prolixo Lacônico disse...

Genial a ideia de responder os comentários com áudio...

Bom, acho que os mitos são uma forma do ser humano tentar explicar o inexplicável. Assim como muitos consideram a religião uma forma de tentar explainar algo. Porém, os mitos não são a mesma coisa que a religião.

O grande percursor dos mitos é o povo, o boca-a-boca ajuda a espalhar os mitos e até tentar criar outros no meio do processo.

Quando ouvimos falar de mitos já pensamos em histórias urbanas ou em nossos avós conversando em uma cadeira de balanço. Mitos são mais do que isso, realmente, todos nós já vimos uma situação que lembramos de um filme, como o Star Wars, um exemplo recorrente. Não importa se o personagem principal faz uma bela cena de ação que nunca poderíamos fazer na vida real, o que importa são os ensinamentos passados por ele, algo mais próximo de nossa realidade e dependente da opinião pessoal de cada um...

É isso aí

Abraços,
Prolixo Lacônico

igor disse...

Bem os mitos estão ai ná nossa sociedade,a questão é como as pessoas interpretam esses mitos, assim como o nosso folclore que nasceu de histórias comtadas pelos país para as crianças permanecerem em casa.
E como no seu post tem várias referências a cinema tenho uma cena em especifico que é muito legal para mim: A cena onde o Morpheus ensina o Neo a dar aqueles saltos,para um telesptador comum,éuma cena de ação mas uma pessoa que para e pensa um pouco pode entender que o que o Morpheus quer dizer é que se acreditarmos em nós mesmos podemos fazer coisas incriveis,bem é só minha opinião.

*Obs.A respeito do programa Audacity,já aditei ulguns áudios com ele é bem simples, e acho que dos programas gratúitos ele é o melhor,tambêm uso o free audio editor para colocar efeitos nas vozes,que tambêm é gratuito e bem fácil de usar.

Sevai disse...

Muito bom o site e agora essa coluna sobre Mitos... sempre achei interessante o assunto.
Não tenho o q adicionar, mas estarei sempre aqui acompanhando.

Abraços

Alonso Marinho disse...

Eu adoro quando você fala sobre os mitos, jornada do heroi e tudo mais. Entender os mitos ao contrario da "zuação" do Azaghal que se sentiu enganado ja que todas as historias usavam essa "formula", entender isso e estudar esse fenomeno ajuda a entender como funciona a propria mente humana independente em qual cultura ela esta inserida.

Afinal com mitos e historias de herois surgindo em diversar partes do mundo e sempre tendo elementos como o heroi, o mentor, os guardiões do limiar e etc, diz como independente de onde nascemos ansiamos por coisas semelhantes, que nossas mentes funcionam parecido.

Quanto ao papel do mito, acho que é o maior perpetrador de moral, etica, valores e tudo mais que ja foi inventado pelo ser humano. As parabolas, as lições escondidas no contextos das historias e tudo mais são algumas das mais valiosas contribuições para a civilização mesmo em mitos modernos como Star Wars, Star Trek e Matrix.

Seja com Star Wars para mostrar a dura jornada do heroi até o triunfo, os sacrificios messianicos em Matrix, ou mesmo o futuro utopico e carregado de esperança de Star Trek sempre irão contribuir para a formação das novas gerações assim como Teseu, Aquiles, Buda e Jesus fizeram com as anteriores (não atirem pedras eu não disse que Jesus é ficcional, eu mesmo sou catolico)

Bem é isso. Esses foram meus 5 centavos para contribuir com o tema

EduardoCoutinho disse...

Parabens Eduardo, belo post.

Mas, sobre a questão da decadência dos mitos de origem religiosa:

É defendido por alguns filósofos que no mundo ocidental nada mais é sagrado, ou seja, ninguém mais considera a hipótese de sacrificar sua vida por algo exceto a família. Durante a história vimos homens se sacrificando basicamente por Deus, pela pátria ou em nome de alguma revolução. Hoje, no Ocidente, ninguém mais aceita morrer por um deus, um país ou um ideal. Você concorda então que não só os mitos religiosos decaíram mas também os políticos ?

DOM-X disse...

@Edu Spohr

Parabens pelo domino cara , tudo de bom !!!

http://twitter.com/reinaldomarquez disse...

Eduardo comecei a conhecer seu trabalho no jovem nerd e hoje o admiro muito.Parabéns pelo blog.
Interessante você citar Kirk, porque estou baixando os episódios da série clássica e é incrível como naquela época os episódios tinham tanto significado. Um exemplo disso é o episódio 5 da primeira temporada intitulado "inimigo interior". Neste espisódio há um defeito no teletransporte e ocorre que isso gera uma cópia "má" do Kirk. Mais tarde descobrimos que na verdade aquela cópia é uma parte do Kirk, sua capacidade de liderar, eu vejo que é a parte "fria" das pessoas, a parte que nos faz deixar as emoções de lado e o que separa aquelas pessoas que tem capacidade de liderança, essas pessoas são áquelas que conseguem separar este lado das emoções.São essas mensagens que devemos da minha opnião tirar conclusões e saber utilizar este conhecimento no dia - a - dia.

Compan disse...

Boa tarded Eduardo... Quero saber se vc vai na Bienal no dia 11/09 - Cornwell Day! Quero autografar meus livros e com ctz ABdA! Abraço! @thicompan

eduardospohr disse...

Pessoal, já está no ar o arquivo em áudio com a análise dos comentários do post "Como surgem os mitos". Veja aqui: www.filosofianerd.com.br