quarta-feira, 18 de março de 2009

Os testes atômicos mais insanos da história


A bomba atômica é um assunto que sempre me fascinou (e não estou sozinho). Não é para menos. Sempre imaginei o arsenal nuclear como a arma definitiva da humanidade. Tudo mudou depois que o homem descobriu que podia apertar um botão e destruir o planeta.

No carnaval de 2004 eu e Bluehand nos encontramos na casa do Azaghal para jogar conversa fora (já viu nerd pular carnaval?) e o garoto levou um DVD assustador, só com vídeos de testes nucleares. Ficamos fascinados com o potencial de destruição das bombas, mesmo já sabendo o estrago que um brinquedinho desses faz quando cai.

Outro dia (noite), navegando no YouTube, descobri que a maioria desses vídeos está agora online. Não deu outra: acabei indo dormir só lá pelas 3 da manhã.

Guardei os links, lógico, para compartilhar com quem tenha interesse, e dei uma reciclada nos meus estudos sobre cada filmagem.

Uma das mais impressionantes é a que mostra a detonação da bomba russa Czar. Esta belezinha foi projetada para suportar uma carga de até 100 megatons, mas o teste foi feito “só” com 50. Pra você ter uma idéia, a bomba que caiu em Hyroshima tinha menos de 1 (um) megaton!

O projeto foi posto para escanteio porque os cientistas constataram que a energia destrutiva de uma bomba com mais de 30 megatons poderia queimar (e destruir) a atmosfera. Se liga neste gráfico.


Outro vídeo incrível é o do canhão nuclear. Essa arma (parece um canhão comum) seria utilizada em um campo de batalha, para atacar um exército inimigo a uma distância mais ou menos pequena. Lançava um projétil que continha uma ogiva de potencial razoável. A gravação é impressionante. O canhão dispara, e em segundos você vê o cogumelo à distância, no deserto. Stunning!

Destaque também para uma curta compilação de explosões submarinas e para uma fita de orientação (lembra até os vídeos da Dharma) do governo estadunidense sobre um teste nuclear levado a cabo em 1955.

Coisa de nerd? É! Mas é também história.

Termino este post recomendando fortemente dois filmes indispensáveis sobre guerra nuclear. Um deles é ‘The Day After’ (1983), que muita gente deve conhecer, e ‘Threads’ (1984), que mostra o que teria acontecido se houvesse um ataque atômico na Inglaterra.

Assista todos os vídeos:

23 comentários:

Leandro Substance disse...

Quem já passou dos 30 sempre tem algum pesadelo com guerra nuclear pra relatar. Mas vou mudar o foco e plantar a semente da discórdia: o homem não conseguiu(ainda) desenvolver uma arma pra acabar com o planeta. O que ele pode é acabar com a raça humana e com mais um balde de criaturas do globo. A Terra mudaria de cara, e só. Mas é normal essa nossa mania de achar que está no centro de tudo.

Como digo pros meus irmãos de filosofia: Cosmo, do grego, significa disciplina. Não existe jurisprudência no universo. Graças aos deuses a natureza é a rainha do pragmatismo e o “jeitinho brasileiro” é só uma invenção da raça.

Não é uma explosão nuclear, mas a gente que durma com um barulho desses.

Baylor D. ( a.k.a. João Gilberto ) disse...

Rapaz...é....Armas de Destruição em Massa.dentre elas as armas nucleares são sinistras demais....

Bruno disse...

Caraca, e eu estava lendo sobre bombas nucleares para terminar um mini conto que estou fazendo. Um inverno nuclear. Valeu pelas dicas uteis.

Bruno Vox

Abraços

eduardospohr disse...

@ Leandro,

Isso a gente não sabe com exatidão. Outro dia eu estava vendo um episódio da série 'Cidades Ocultas', do History Channel, e lá eles contavam que o Hitler tinha uma arma para destruir a Terra.

BOATO, claro. Mas hj em dia não duvido de mais nada. A idéia era implantar uma bomba nuclear no centro da Terra, que iniciaria uma destruição em cadeia que implodiria o planeta.

Engenheiros, me ajudem... isso seria possível??

eduardospohr disse...

@Bruno,

Que feliz coinscidência. Depois publica o conto pra gente ler e anuncia o link aqui no post!

Agora fiquei curioso.

Bruno disse...

@Eduardo,

Aqui está o mini conto:
http://www.onerdescritor.com.br/category/autores/bruno-vox/

Está dividido em 5 partes, acho que o The Gunslinger vai postar o final hoje no site.

É apenas um ensaio, um experimento, para algo mais complexo.

Estou aprendendo ainda, espero que vc não ache tão ruim. É apenas a minha segunda história que escrevo.

Abraços,

eduardospohr disse...

@ Bruno, vou ler com calma amanhã à noite, sexta-feira. É o único dia que tenho pra relaxar. Dia de semana é corrido pra mim. Aí dou minha opinião.

Valeu por postar o link aí nos comentários. Assim tdo mundo pode acessar teu texto e ler.

Abs!!

thegunslinger disse...

@eduardospohr Ei não da para liberar os comentários para outro tipo de perfil? É que ali em baixo não permitte setar um nome e endereço de site.

estou usando o meu do google. :/

eduardospohr disse...

@thegunslinger

Fiz a alteração. Tenta aí. Se não der certo me avisa.

The Gunslinger disse...

@eduardospohr

Opa! :D
Agora ta legal.

Marcelo M disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcelo M disse...

Olá Spohr. Sou fã do NC. :)

Eu tava vendo este video de orientação e achei legal que parece muito com o teste do ultimo Indiana Jones. Até o boneco colocado nas casas/abrigos.

Bacana.

Abraço e sucesso!

eduardospohr disse...

Com certeza a cena do Indy 4 foi inspirada nessa parada! Legal né?

Fabio Ciccone disse...

Nossa, destruição absurda...

Gabriel disse...

Quem sabe em 2012 não vemos uma dessas pessoalmente?

Roy disse...

Muito boa materia sobre as bombas Eduardo, fiquei maluco com o gráfico ! ! !
estou seguindo seu blog !!!
vou por no meu blog uma materia sobre a cavalgada das valquirias, espero que goste.
abraço

disse...

Também acho difícil sermos capazes de destruir o planeta. Isso (felizmente) ainda está no campo da ficção. Até a idéia do Hitler me parece pouco realizável, visto que seria MUITO difícil simplesmente chegar ao centro do planeta. Acho que as pessoas não fazem idéia de o que isso significa.

Mesmo assim bombas nucleares não deixam de ser assustadoras, o poder de extinguir milhares (ou milhões) de vidas não é algo que deveria existir.

PS: Cheguei ao seu blog através do JN (como uma boa parte, imagino). Você é um dos meus participantes preferidos do Nerdcast e gostei muito de saber dessa empreitada, espero que seja duradoura.

Rage disse...

Parabens pelo blog!
Muita informação interessante e bem trabalhada!
Só para dar uma dica, as bombas usadas em 45 no Japão, Fat Man (Nagasaki) tinha 20 ktons e a Little Boy (Hiroshima) uns 15kton, e não 1 mton, que seria 1000kton.
Abraço!

eduardospohr disse...

@Rage,

Obrigado pela colaboração. Senti até saudade da Guerra Fria hehehehehe.

Apareça sempre q puder :-)

Abs

Renver disse...

"O projeto foi posto para escanteio porque os cientistas constataram que a energia destrutiva de uma bomba com mais de 30 megatons poderia queimar (e destruir) a atmosfera."

O teste foi feito com uma de 50...mas só esse teste não seria o suficiente pra queimar a atmosfera? ou digamos se fosse usada mais vezes a de 50 aí sim teríamos grandes riscos de queimar a atmosfera?

Outra coisa quando se fala que no auge da guerra fria se tinha poder pra destruir a terra 27 vezes... se refere a raça humana e toda a vida no planeta, não é? Acho dificil um poder suficiente pra destruir/obliterar o planeta (a não ser em DBZ)

Filipe Ernesto disse...

Gostei mto do post e tb sou fascinado sobre energia nuclear no geral. Só queria falar que o vídeo do top 5 explosões está errado, pois a bomba trinity era menor que a little boy, segundo que as bombas de hidrogênio explodidas pelos EUA, URSS, China e Reino Unido foram bem maiores que as jogadas no Japão. Segue aqui a lista das 5 maiores explosões nucleares:

1- Tsar Bomba : 50mt - URSS
2- Teste 219 : 24,2mt - URSS
3- Teste nuclear soviético sem nome : 21,1Mt
4- Outro teste nuclear soviético : 19,1Mt
5- Castle Bravo: 15Mt - USA

fonte: Wikipédia (EN)
4-

Simone disse...

Eu já tenho "síndrome do fim do mundo", vendo essas coisas (e depois de umas cervejas) só piora.. rsrs

Fabuloso o poder de destruição, mas acho que a hecatombe de 2012 virá pelos zumbis!

Só pra constar... Nerd tb pula carnaval, sim, viu!!

Ulisses disse...

Também acho facinante e fico imaginando como seria uma guerra atomica, se a guerra fria tivesse chegado a este ponto. O que estraga (felizmente talvez) é a radiação. Se fosse apenas a detonação e o estrago, eles já teriam usado diversas vezes nessas guerras posteriores. Mas como a radiação também afeta quem dispara a bomba, acho que isso deve ter sido o fator preponderante para que pensassem em não usá-la mais.