domingo, 17 de maio de 2009

Wolverine x Star Trek – contém spoilers!

No início do mês, dois longa-metragens mega nerds deram as caras no cinema. Primeiro surgiu o nosso estimado mutante Logan, com suas garras afiadas e personalidade pouco agradável. Na seqüência, foi a vez de ‘Star Trek’, dirigido pelo cineasta mais geek do momento, J.J. Abrams.

Wolverine’ saiu e ainda está na frente nas bilheterias americana, britânica e brasileira. A comunidade nerd, entretanto, e os fãs de quadrinhos em geral, fizeram críticas pesadas à produção estrelada por Hugh Jackman, e elogios rasgados à nova aventura da Enterprise.

A minha opinião, acreditem, está mais alinhada ao mainstream. E justamente por ter tido uma percepção diferente à dos colegas nerds, decidi escrever este post. Afinal, sempre acreditei que essa é a função primária dos blogs: ser um espaço democrático em que cada um pode mostrar a sua visão, abrindo o assunto ao debate.

Antes de tudo, quero deixar claro que minha intenção não é desrespeitar opiniões diferentes e muito menos polemizar. Nunca fui um sujeito polêmico e não vejo motivo para tal. Aliás, penso que a maioria (não todos) daqueles que gostam de gerar polêmica o fazem porque não são capazes de aparecer pelo próprio talento. É lógico que há exceções.

Bem, vamos aos filmes. Lembre-se: CONTÉM SPOILERS!

X-MEN ORIGENS: WOLVERINE

De início, eu nem queria assistir ‘Wolverine’. Falaram tão mal que eu estava disposto a evitar as salas a todo custo. Mas num sábado de ócio, logo na estreia, acabei me rendendo e fui ao cinema.

Confesso que não guardava grandes expectativas, já que nunca havia lido um só quadrinho solo do Wolverine. Conhecia ele por meio das revistas dos X-Men, do desenho animado dos anos 90 e dos filmes.

O que eu esperava quando as luzes se apagaram era nada mais do que pancadaria, ação e a aparição especial de vários heróis, mesmo que rapidamente, que fizeram parte do passado de Logan. E foi EXATAMENTE isso o que eu encontrei!

Como jornalista e escritor, sei como é importante trabalhar um bom roteiro. Mas algumas vezes você simplesmente prefere (ou necessita) desligar o seu cérebro e ingressar por duas horas em um mundo de porradaria insana. O resultado é um filme divertidíssimo, que te gruda na cadeira do início ao fim e quase não te dá chance de respirar.

Entenda que, nesse tipo de blockbuster, você não pode se preocupar muito se o roteiro tem furos ou incoerências. É a filosofia “Indiana Jones 4: o cara se tranca numa geladeira e resiste a uma bomba nuclear. Incoerente? Sim, mas quem se preocupa?

Hugh Jackman x Batman

O ponto alto é definitivamente a atuação de Hugh Jackman. Ele rouba a cena e cria um personagem tão forte que eclipsa tanto coadjuvantes quanto vilões.

O Wolverine de ‘Origens’ é certamente o super-herói mais bacana e durão do cinema atual, fazendo Batman de ‘Dark Night’ parecer uma moça. Ao explodir o helicóptero e matar o Agente Zero a sangue frio, Gavin Hood (diretor) faz o que nem o psicótico Homem-Morcego teve coragem de fazer em ‘O Cavaleiro das Trevas’.

É fato que a ação atropela o roteiro, e esse detalhe foi o que fez muita gente detestar ‘Wolverine’. Mas é possível, sim, tomar isso como uma coisa boa. Uma cena emblemática é a luta entre Wolvie e Blob. É claro que haveria muitas outras maneiras de Logan conseguir a informação que procurava. Mas qual, em um filme de ação como esse, seria melhor do que entrar no ringue e partir para a briga?

Aos que ainda não assistiram, a dica é essa: preparem-se para ver muita pancadaria, aventura e ação. Aos que já assistiram e não gostaram, recomendo revisitarem a obra quando sair em DVD, com uma nova mentalidade. Aos que, como eu, assistiram e gostaram, fico feliz que tentam saído satisfeitos do cinema.

» Fotos da coletiva de imprensa com Hugh Jackman, no Rio

STAR TREK

Se você é um espectador comum, primeiro entenda o seguinte. Eu sou um fã chato de Star Trek, e às vezes até um pouco radical (olha o Kirk aí no header). Isso quer dizer que não sou parâmetro para o público em geral. Continue lendo por sua conta e risco.

Analisando friamente, Star Trek é um bom filme, não tem como negar. Se você não é fã antigo, provavelmente vai adorar. Mas para um fanático pela série clássica, como eu, a produção decepciona, por vários motivos.

Agora vem uma opinião muito particular: não engoli até agora a premissa. Fui ao cinema esperando ver os personagens que aprendi a gostar, e no entanto me deparei com uma tripulação “alternativa”, de um universo paralelo, onde eventos que por anos consideramos como certos simplesmente não aconteceram. Novamente: tudo é expectativa.

Os entusiastas que me desculpem, mas para quem passou décadas com a imagem lógica, fria e calculista de Leonard Nimoy é um pouco difícil aceitar um Spock raivoso, impulsivo e apaixonado (???). Além disso, a destruição de Vulcano é um sacrilégio.

Coincidências e incoerências

A bizarra série de coincidências no roteiro também incomoda. Tudo acontece muito rápido, sem explicação. Numa nave com 500 pessoas, o único apto a comandar a Enterprise era logo o jovem Kirk, que passava por problemas na frota e entrou de gaiato na missão? Scotty, encontrado há 20 minutos numa fossa espacial torna-se de uma hora para outra o engenheiro mais importante da ponte? Kirk é lançado num planeta gelado, tropeça numa caverna e encontra o velho Spock (how convenient!).

Aliás, a decisão de Spock (Zachary Quinto) de expelir o futuro capitão para um planeta afastado é no mínimo absurda. Mais lógico seria isolá-lo na área de detenção. Na história da frota, nem os articuladores dos mais violentos motins a bordo foram ejetados – até o terrível Khan foi poupado deste castigo.

No final, a impressão que ficou (para mim) é que J.J. Abrams poderia ter dirigido um filme maravilhoso alterando coisas simples. Com isso, ele faria uma aventura como nenhuma outra, e manteria viva a personalidade de nosso querido Spock, além de salvar o valoroso planeta Vulcano na aniquilação final.

A ideia do universo alternativo é preguiçosa, de alguém que simplesmente não quer se comprometer: “posso fazer o que quiser que nenhum fã maluco poderá me questionar”. Faltou coragem de dar a cara a tapa e paciência de sentar e bolar uma história coerente como tudo o que já foi feito anteriormente sobre Star Trek.

Se você for capaz de abstrair isso (o universo paralelo), coisa que eu não fui, garanto que vai se divertir um bocado.

Aplausos vigorosos para o elenco (todos estão muito bem), equipe de efeitos especiais, trilha sonora, direção de arte, maquiagem, edição e figurino.

MUDANDO DE ASSUNTO

Para quem ficou interessado no RPG de “A Batalha do Apocalipse, rolou neste fim de semana um jogo fechado, para preparar os mestres para a grande jogatina, que será aberta a todos. Várias regras foram mexidas. Ainda esta semana posto aqui as modificações e o download para o livro 0.2.

16 comentários:

disse...

Um pouco eu concordo com a sua opinião.

Como fã de quadrinhos eu detestei Wolverine, porém como filme de ação e aventura, entretenimento puro e simples, ele é um ótimo filme.

Já Star Trek, assisti alguns episódios da série clássica e mair da Nova Geração, então não posso opinar quanto a fidelidade (embora a destruição de Vulcano também tenha me deixado puto). Mas acho que o Spock mais "humano" é explicável não? Os vulcanos adquirem seu perfil lógico ao longo da vida, tanto que tem o ritual de passagem que Spock perde. Jovem, inexperiente e sem orientação, é esperado que o personagem enverede por um caminho diferente. Tudo bem, sua crítica não foi essa, mas apesar de a questão de realidade paralela ser uma explicação fácil e batida (Exterminador do Futuro, Dias de um Futuro Esquecido,...) ela se encaixa bem na proposta do filme. Também me diverti com Star Trek.

De qualquer forma sua exposição foi ótima, mas isso não vai impedir um monte de gente dizendo que vc é "do contra".

Arthur Ribeiro disse...

eu detestei ambos os filmes, e ainda to esperando uma adaptação que me agrade...
E estou ansioso por mais material do RPG.

El Ractus disse...

Eduardo, eu entendo os motivos para gostar de Wolverine, eu mesmo quando vi o filme (versão da net) achei que ia ser péssimo. Com esse nível de espectativa, o filme foi melhor que eu esperava, um caso de cinema com pipoca, para assistir sem esperar nada e se divertir.

Agora por esse ponto de vista, Star Trek é um filmaço. Acredito que o problema seja que você foi com a idéia pré concebida da série antiga. Se você fosse fã de carteirinha de Wolverine, como é de Star Trek, iria ver que o estrago que fizeram no filme do carcaju foi muito pior.

Mas no final, opinião é que nem c*, cada um tem a sua. Vamos esperar agora e ver se Terminator Salvation vai ser unanimidade entre os Nerds!

Abraços

Ricardo Hermida Ruiz disse...

Eu também posso ser considerado um fã chato de Star Trek mas eu gostei do filme. Deve ser porque eu levei em consideração o fato dele ter sido prejudicado pela greve de roteiristas e já ter sofrido um atraso por conta disso, muito provavelmente melhoraram o roteiro original e refizeram algumas cenas. Porém ainda há muitos indícios do "rewrite" durante o filme. Jå quanto a eliminaren Vulcan, acho que pode levar a histórias interessantes, sempre me interessei pelos episódios do "Mirror universe" apesar daquele universo ser meio exagerado. A menor influência dos Vulcanos na federação pode levar a lugares interessantes.

Xong Lee disse...

Muito bom ver que ainda tem gente que assume suas opiniões, mesmo que 'against the grain', e mostra o porque das coisas! "Critic thinkers stands for his own!" Parabens.
Mas nao fica puto por causa do spock nao.. é que na verdade era o Sylar. ¦-]

vinisepulveda disse...

O problema está bem claro pra mim agora...

Você gostou do filme "wolverine" pq não conhece os HQs tão profundamente quanto a maioria dos Nerds que odiaram, sendo assim, foi facil desligar o cérebro. porém, o mesmo não foi possível quando o assunto era Star Trek que vc conhece muito bem.

essas coisas são assim mesmo, quanto mais sólido for seu conhecimento por alguma coisa, maior o desejo de fidelidade.
um bom exemplo é o pessoal que lê Harry Potter, vivem dizendo que os filmes são fracos de conteúdo e muitas vezes mentirosos. eu já alguns livros e o terceiro filme que eh o mais "zuado" pra mim eh o melhor!

É como dizem: "tudo tem 3 lados"

Zé Bokinha disse...

O problema foi exatamente a diferença de quão passional é sua relação com Wolverine e Star Trek. Eu também fui ao cinema assistir ao Wolverine sem nenhuma expectativa, uma vez que não sou lunático por ele nem tampouco por X-Men. Dessa forma, me divertí muito com as cenas de ação e comédia do filme, apesar de todas as incoerências e clichês (a cena do Wolverine sentando na moto, cuja suspenção cede, por exemplo, deveria ser precedida de alguma cena do Wolverine quebrando cadeiras e camas ao se sentar ou deitar). No caso de Star Trek, a coisa se complica pra você, por que o assunto é "coisa séria"... Resumindo: repetí o que todo mundo já falou! Hahaha. Mas, tudo bem. Abraço pra você e parabéns pelo seu trabalho no blog e no Nerd Cast!

h²enrique disse...

Eduardo Spohr, acredito que não houve muito ou sequer algum esforço da sua parte para gostar de Star Trek ou entender suas mudanças.

Não sou fã da série para ter me sentido ofendido com as mudanças, mas alguns fãs da série clássica em vez de reclamarem foram pesquisar na série explicações para essas falhas. E até onde vi, as duas maiores reclamaões, Spock emocional e o encontro de Kirk com o velho Spock são justificados dessa forma.

Sobre as coincidências, foi postado por Ismael Goular de Oliveira na resenha do filme no Jovem Nerd:
'Eu sei que já fazem sete dias desde que a resenha foi publicada, mas só pude olhar o filme neste sábado, eu gostaria de dizer uma coisa sobre a “forçada de barra” do Kirk encontrar o Spock e os dois encontrarem o Scotty tudo no mesmo lugar. Lembram quando na séria classica o ‘Magro’ ficou transtornado quando acidentalmente tomou uma injeção de uma droga estimulante e acabou indo para o passado e alterando tudo, o kirk e o Spock também vão para o passado e o Kirk questiona se eles realmente vão poder encontrar o McCoy tendo em vista que a terra é tão grande e ele poderia ter alterado qualquer coisa em qualquer lugar, o Spok responde dizendo que há uma teoria em que as correntes do tempo tendem a ajudar tudo a “voltar ao normal” (eu acho, não lembro bem, mas a idéia é essa) e que portanto eles teriam sim possibilidades de “chegar” no mesmo lugar em que o McCoy estaria. Usando esta mesma teoria não é de se admirar que as “correntes do tempo” ajudaram todos a se encontrarem novamente na Enterprise e a descobrirem suas verdadeiras funções (pois o começo do filme foi um troca-troca de funções memorável).'

E como assim realidade alternativa é preguiçosa? É justificado a existência dessa realidade alternativa com uma explicação muito plausível, e foi algo muito criativo, porque não foi só dar reset e começar de novo, é muito cansativo por exemplo aquelas histórias do Homem Aranha que contam a mesma história novamente do Homem Areia, do Simbionte e a cena do sino, ou sempre acompanhando a morte dos pais do Bruce a cada 'reinvenção' da trama.
E as coisas que eram dadas como certas não existem mais exatamente por causa disso, o cara voltou no tempo e embaralhou tudo, reclamam que os Romulanos só aparecem mais tarde na série, mas caramba o cara volta no tempo e toca o terror, como ignorar isso? A história mudou e o cara apareceu antes, e vice-versa.
E em momento algum mudar o curso da história me pareceu desculpa para o roteirista fazer o que quiser, pois mesmo sem conhecer a série eu senti que havia referências à rodo para manter o espirito da saga.
Sim, eles teoricamente tem a liberdade para fazerem o que quiserem, mas eu senti uma preocupação em ser fiel às origens.

E é engraçado que você pede para as pessoas assistirem Wolverine novamente com uma nova mentalidade, uma pessoa que não é fã pedindo para os fãs não se incomodarem tanto com defeitos e mudanças. Peço a mesma coisa à você.

eduardospohr disse...

@ Zé

O Spock mais humano é aceitável sim, dentro da premissa do filme. A questão é se você curtiu ou não essa premissa. Eu não gostei, mas isso não quer dizer que o filme seja ruim.

@ Arthur Ribeiro

O próximo post deve ser sobre a atualização das regras. Estou trabalhando nisso e no livro de Ambientação.

@ El Ractus

É isso mesmo, cara! Perfeita a sua colocação. Eu tinha e tenho mesmo uma idéia pré-concebida da série clássica.

@ Ricardo Hermida Ruiz

Putz, cara. Falou tudo! Greve dos roteiristas. Será que foi por isso que o roteiro acabou caindo nessas incoerências?

@ Xong Lee

“(...)fica puto por causa do spock nao.. é que na verdade era o Sylar. ¦-]” – GENIAL! Hahahahahahahah.

@ vinisepulveda @ Zé Bokinha

Acho q foi isso mesmo!

eduardospohr disse...

@ h²enrique

Colocação perfeita. Mas como eu disse, não falei que o filme era ruim, só disse que eu não gostei. É apenas uma opinião.

Mas quanto ao texto, não acho que seja obrigação do público procurar teorias para justificar o que acontece nos filmes. Claro, é bacana fazer isso, mas o espectador tem esse nome justamente pq é “aquele que assiste” e não “aquele que cria”. Se começarmos a fazer isso, vamos encontrar teorias até para as mais absurdas incoerências em muitas obras. Vide os midichlorians, do Star Wars.

Quanto à realidade alternativa, não acho que seja assim tão criativa, pelo menos no caso do J.J. Ele copiou o conceito que tinha trabalhado para o ‘Lost’, colou em ‘Star Trek’ e saiu reescrevendo a história dos personagens da maneira que ele queria. Assim é fácil. Difícil seria estudar toda a série clássica e encaixar uma história coerente com o que tinha acontecido com a tripulação na “realidade normal”.

Mas é natural que você não concorde comigo, porque temos um perfil diferente. Eu sou fanzoca da séria clássica e você não conhece muito deste universo. É claro que a sua percepção será muito diferente.

Mas você tem razão. Vou, sim, revisitar o filme quando sair em DVD. Aliás, já estou planejando fazer uma maratona para rever toda a série de cinema :-)

Nerdzin disse...

Eu sempre achei que os filmes de adaptaçoes de assuntos do mundo nerd foram feitos para agradar os nao nerds... o roteiro quase sempre é diferente do original e nos,nerds,somos seres muito criticos.

Por fim, do ponto de vista nerd fã os filmes nao foram o que eu realmente esperava... mais do ponto de vista um cara totalmente alienado as historias originais sao bons filmes

Pandion disse...

Eduardo, na moral, tirando homem de ferro e homem aranha, todos os outros filmes dos personagens marvel não passam de uma piada de muito mal gosto se comparados às histórias dos anos 80 e 90. Tentei ver os todos os filmes, poucos ví até o final, e me arrependi de todos, saí triste e decepcionado. Com Wolverine não foi diferente, eu até poderia ter rido do filme, mas o desgosto era tão grande que só pude xingar mesmo.

Leandro disse...

De Star Trek eu não posso dizer nada (ainda), pois ainda não o assisti.

Mas assisti ao filme do Wolverine e digo que saí frustrado. Não fiquei puto, pelo menos não ao ponto de sair xingando da sala de cinema, mas sim frustrado... Essa é a palavra.

Mas o que esperar da FOX também né?
Com Demolidor, Elektra, Quarteto fantástico, A Liga Extraordinária e Dragon Ball não foi diferente.
Porque seria diferente agora com o filme do Wolverine?

E o pior é que vem mais bomba pela frente!
Espero que a Marvel obtenha novamente os direitos de seus personagens e faça filmes descentes como Hulk e Homem de ferro.

Atreus disse...

Ainda nao assisti Star Trek.

MAS concordo plenamente contigo Eduardo. Wolverine eh mto bom pow!Sou fa de carteirinha de Wolverine desde que me conheco por gente e mesmo assim nao consegui nao gostar do filme.Divertido,sem nocao,cheio de herois...Putz...Muito bom.Soh faltou mais sangue! =D

eduardospohr disse...

@ Atreus,

Concordo quando ao sangue e pensei o mesmo no filme do Batman - "Dark Knight".

Infelizmente americano tem aquela babaquice de P-13. RIdículo.

Leonardo Blog disse...

Bem, quando ao Wolverine só digo uma coisa:

Deadpool

Cada um tem seu motivo para odiar alguma coisa, esse foi o meu, ridicularizaram totalmente meu personagem preferido de quadrinhos ali, e por mim esse filme, bom ou nao, burn in hell.


Quanto ao Star Trek eu adorei. Eu nunca vi nada de Star Trek na minha vida, e como uma primeira experiencia achei fodástico. E mesmo nao tendo visto nada eu entendi o que o J.J quis dizer que aquilo era uma coisa alternativa.