sexta-feira, 10 de julho de 2009

A chave para Praga: a última fronteira comunista

Assista à primeira parte do vídeo aqui

No início de 2008, quando comecei a planejar a minha viagem à Europa, me deparei com um impasse: qual país deveria escolher? Como não tinha muito dinheiro, optei por me hospedar em albergues e hotéis baratos, porque só assim seria capaz de visitar mais de um país numa mesma “aventura”.

Desde a primeira vez que estive no Velho Continente, sempre ouvia as pessoas falando de Praga. E eu pensava: por que? Por que a capital da República Tcheca desperta tanto fascínio e atrai tantos turistas - europeus e do resto do mundo?

Eu e Afonso Tresdê. Ao fundo, a famosa Ponte Carlos.

Pouca gente sabe, mas Praga sobreviveu quase intacta aos pesados bombardeios que assolaram a Europa durante a II Guerra Mundial. Isso significa que praticamente tudo o que você vê lá é original: castelos, pontes, igrejas, praças.

Além disso, a então Tchecoslováquia foi, durante toda a Guerra Fria, um dos poucos países sob influência comunista que recebia visitantes ocidentais com relativa flexibilidade. Praga era a porta de entrada para o Leste Europeu, a última fronteira entre o mundo capitalista e as repúblicas da Cortina de Ferro.


Fachada do Museu Nacional, na Praça São Venceslau (Cidade Nova)

Outra coisa que me influenciou na decisão de conhecer a República Tcheca foi a presença do nosso amigo Afonso Tresdê. Trocamos alguns emails e ele me convenceu a encontrá-lo lá, prometendo me receber no aeroporto – não importa o estado mental ou físico que estivesse.

Foi por isso que, na manhã de 20 de junho de 2008, eu tomei um avião em Amsterdã, onde estava, com destino à terra da cerveja e das marionetes.

ATRAÇÕES NERDS EM PRAGA

Ficar aqui relatando cada atração turística de Praga seria perda de tempo. Primeiro, porque este não é um blog de turismo; segundo, porque você pode achar facilmente essas informações em qualquer lugar. Ao invés disso, prefiro falar sobre algumas experiências e lugares de interesse nerd na cidade.

Cerveja – Se você gosta de uma cerva (tudo bem, isso não tem nada de nerd), esse é o lugar. Praga fica na região geográfica conhecida como Boêmia, famosa por suas bebidas fermentadas. A primeira coisa que o Tresdê me ensinou ao chegar na cidade foi a palavra “beer point”. Centenas de quiosques com louras geladas se espalham pelas ruas da capital. Minha dica: procure a “kozel”, cerveja avermelhada. Deliciosa!

Albergues – Os albergues em Praga não são lá muito bons, mas dão para o gasto se você não for muito exigente e só quiser uma cama para dormir. Mas prepare-se: eles não servem café da manhã. Se estiver viajando a dois, prefira um hotel.

O lado curioso foi que consegui em um quarto enorme. Embora quente e barulhento, era o típico cômodo no estilo soviético: construtivista, com pé direito alto e longas janelas com armação de aço, ocupando toda a parede. Pena que não tirei foto.

Cultura soviética – Outra dica bacana é reparar como a influência soviética continua latente em muitos aspectos da cultura tcheca. Praga é uma cidade bem preparada para receber turistas, então você não terá problemas para conversar em inglês com funcionários de bares, hotéis ou museus. Mas ao sair um pouco do centro histórico, é normal encontrar restaurantes e lojas onde ninguém fala uma palavra de inglês, especialmente as pessoas com mais de 40 anos.

Igreja de São Nicolau, na Praça da Cidade Velha.

Além disso, a famosa rispidez russa também é uma realidade aqui. Não que os tchecos sejam mal-educados, mas como nós, brasileiros, temos um comportamento mais expansivo, esta característica local se sobressai (e pode até assustar).

Arquitetura – Não sou nenhum expert em arquitetura. Na verdade, entendo pouco. Mas mesmo um leigo não pode deixar de notar a riqueza e a miscelânea arquitetônica de Praga. Torres góticas convivem lado a lado com igrejas barrocas; palácios renascentistas rivalizam com prédios em art noveau; casas cubistas dividem espaço com pontes românicas.


Relógio da Cidade Velha – Uma das principais atrações de Praga é o relógio da Cidade Velha. Muitas cidades da Europa têm relógios em torres, mas este ficou conhecido por ser o mais belo e perfeito da Boêmia, tanto que, segundo a lenda, os governantes do século XV cegaram o relojoeiro-mestre para que ele não reproduzisse sua obra em outra cidade. O mecanismo conta ainda com um peculiar relógio astronômico, com números arábicos, marcando as órbitas do sol e da lua em torno da Terra.

Teatro Nacional – A elite artística e intelectual sempre foi muito atuante em Praga. Na verdade, foi ela que ajudou a cidade a ser um lugar mais brando durante a Guerra Fria. Praga é a cidade dos teatros, das óperas. Mesmo que você não entenda tcheco, vale a pena assistir a uma peça, ópera ou concerto no Teatro Nacional, ou em qualquer outra casa de espetáculos da região.

Castelo de Praga – O Castelo de Praga não é só um castelo, nem mesmo uma cidadela. É um bairro localizado no ponto mais elevado da cidade. Aqui você vai encontrar, além do castelo em si, várias igrejas, museus, torres, palácios e a Catedral de São Vito. Atenção para o detalhe nerd: a Viela Dourada conta com uma loja que vende (a preços acessíveis) armas medievais, armaduras e action figures de fantasia (cavaleiros, orcs, dragões). Coisa pra enlouquecer qualquer um.

Mosteiro Strahov Ainda no morro do castelo, este mosteiro é um oásis nerd. Ele escapou da extinção em 1783 convertendo-se em um centro de estudos. Aqui estão exemplares de animais bizarros e híbridos (ninguém sabe se são reais ou uma farsa). Além disso, a Sala de Filosofia abriga o mais antigo livro do país, um fac-símile do século IX.

Teatro Negro e marionetes – Praga é também a cidade das marionetes (vendidas em toda parte como souvenir) e do Teatro Negro de Praga, no qual atores maquiados de preto movem objetos contra um fundo escuro, sem serem vistos.

Bairro Judeu – A comunidade judaica sempre foi muito forte em Praga. O Cemitério Judeu é passeio obrigatório, mas duas sinagogas contam com detalhes interessantes. Uma lenda conta que há um golem escondido no telhado da sinagoga Staronová. No século XVI, o rabino Low teria dado vida à criatura por magia, mas a teria inutilizado quando o mostro revelou fúria destruidora.

Pedras sobre os túmulos no Cemitério Judeu: tradição

Já a sinagoga Maisel expõe inigualáveis joias e relíquias israelitas – curiosamente levadas para lá pelos nazistas, durante a ocupação. A intenção dos alemães era (pasmem) criar um museu dedicado ao “povo extinto”.

Parques – Nenhum turista vem ao Brasil sem ir à praia. Assim como nenhum turista deve ir a Praga sem conhecer os muitos parques que cercam a cidade. Numa tarde de verão, esses são os lugares mais agradáveis de estar, onde você pode relaxar na grama, tomar sol e saborear a melhor cerveja do mundo.

Próxima parada, Constantinopla – Ao fim de quatro dias em Praga, parti novamente para o aeroporto, desta vez para tomar um avião para a Turquia e encarar o destino final da minha aventura: a misteriosa cidade de Istambul, a antiga capital do Império Bizantino no ponto mais oriental da Europa... Mas essa jornada fica para um próximo post :-)

QUER SABER MAIS SOBRE PRAGA?

Visite os sites:

» CzechTurism.com (em português)
» Prague.cz (oficial, em inglês)
» Localize Praga no Google Maps

16 comentários:

Rafael Rocha(sseph) disse...

O lugar parece muito interessante, principalmente as construções, muito lindas.Ta ai algo que quero conhecer um dia.
Esperando o outro post xD
só para não esquecer, estamos a espera de "A Batalha do Apocalipse!"

eduardospohr disse...

@Rafael Rocha(sseph),

Estou editando um vídeo. Vou colocar lá no topo do post. Volta aqui amanhã. Já devo ter publicado :-)

Abracao

Rafael Rocha(sseph) disse...

Achei aquele relógio incrível! Parece coisa de rog mesmo xD, e aquela loja de armaduras tem uns action figures maneiríssimos.
Esperamos Istambul agora hehehe.

João Romão disse...

Muito bacana seu blog, Eduardo. Fazia tempo que eu não encontrava algo tão interessante e divertido de ler.

Eu ainda me lembro de ter aprendido a jornada do herói na faculdade ainda, na aula de animação, dentre outros modelos de roteiro (os quais eu não me lembro quais eram). Eu tinha simplesmente esquecido desse formato, e hoje, tento aplicá-lo em cursos de Ensino a Distância de aspecto mais cinematográfico.

Cara, obrigado mesmo por disponibilizar toda essa informação. Um grande abraço bixo!

eduardospohr disse...

@João Romão,

Que tipo de aula vc ministra? Gostaria de conhecer :-)

Qdo eu falo da Jornada do Herói no cinema, costumo indicar 4 filmes: "Fúria de Titãs", "Excalibur", "Star Wars" e "Matrix".

Esses filmes mostram a jornada em cada época da humanidade (Idade Antiga, Idade Média, Século XX e Era da Informação) - formas diferentes, mesmo discurso.

Já pensei em tentar ministrar uma aula sobre isso na PUC-Rio, onde me formei, mas lá vc só pode dar aula se tiver mestrado :-P

Abs!!

João Romão disse...

Eduardo,

Eu não ministro aulas, eu produzo cursos de Ensino a Distância, e muitos deles tem um aspecto um pouco mais narrativo. Aí eu tento utilizar elementos do cinema (enquadramento e agora tentando aplicar roteiro) pra deixar mais interessante e um pouco mais motivador, já que estudar a distância exige uma força de vontade grande do aluno. A maioria dos cursos são para treinamento de "colaboradores" (não se utiliza a palavra funcionário) em empresas e indústrias.

"Fúria de Titãs" nunca vi. Vou procurar.

Eu ainda me lembro nessa aula de animação a gente fazendo o exercício com vários filmes. Matrix foi um deles. Acho que o primeiro devolta para o futuro tb. Eu acho que fiz com Fievel, não estou certo.

Com certeza suas aulas teriam um "público" considerável, ainda mais do povo nerd que conhece o seu trabalho. Pensa em se aplicar para algum mestrado ou pós?

Abraço

Gustavo F. de Souza disse...

Muito bom o vídeo. A vontade de conhecer o velho mundo aumenta vendo sua viagem.
O texto então é maravilhoso. Nada como ler algo escrito de nerd pra nerd! =)
Sensacional o relógio. Mas uma dúvida persiste: quais action figures tivesse o prazer de trazer para tuas estantes? Com certeza aquela loja é de deixar qualquer um maluco! Nessas horas eu tenho vontade de ser millionaire...

Abraço! Continue assim com o blog! Conteúdo nerdde primeira mão!

eduardospohr disse...

@Gustavo,

Isso é que é o mais bizarro (pra não dizer triste). Não comprei NENHUM action figure :-(

O problema é que eu estava viajando apenas com uma mochila e não tinha onde levar - snif -

Mas acabei comprando alguns depois, numa viagem posterior a Portugal.

abracao

eduardospohr disse...

@João Romão,

Não penso em fazer pós não, pois não tenho tempo. Vida de jornalista não é fácil. Mas quem sabe eu consigo ministrar um curso de extensão que exija só graduação. Quem sabe... Vou me informar

The Gunslinger disse...

Fiquei louco para ir nesta Viela Dourada... e caramba Istambul!! Istambul!!

Sou louco para conhecer esta cidade, não vejo a hora de sair seu próximo post.

E também, não vejo a hora de quem sabe poder um dia ir para lá. =)

Muito bom Eduardo!

fabiogaino disse...

Parabens senhor spor , muito bom mesmo , uma pequena aula com o velho mundo no fundo , desperta muito a curiosidade e mais ainda a vontade de pegar a uma mochila por nas costa e sair por ai respirando historia , nao vejo a hora de sair o proximo video e mais informaçoes como assim vc fez neste topico
abraços

Mateus Guida disse...

Nossa.. muito bom o video e todo o seu blog! dá gosto de ler!

Mateus Guida disse...

Sei que com certeza dá trabalho, mas esses videos sao mt bons mesmo e voce devia fazer mais! Cultura, historia e curiosidades!
nao soh no exterior mas no nosso proprio Brasil que muitas vezes desconhecemos!
Bom trabalho!

eduardospohr disse...

@Mateus,

Obrigado pelos comentários. Realmente isso só me estimula a continuar postando este tipo de conteúdo :-)

Vou fazer mais sim. Pena que não documentei em vídeo todas as minhas viagens. Mas tenho fotos e tb posso escrever textos.

De qualquer maneira, Istambul já está no forno ;-)

Abs

Daniel, 21 anos Goías disse...

Olá Eduardo!

Antes de tudo
Eu sempre gostei das suas participações no NC e como pessoa também. Você é do tipo de pessoa que nos ajuda a crescer, soma conhecimento e nos incentiva a buscar novas coisas. São qualidades que valorizo bastante, já que as vezes fico cansando do culto a ignorância e alienação que hoje assola as pessoas em geral. Não que eu seja grande coisa, mas estou sempre tentando melhorar no intelecto e principalmente como pessoa. hahaha

Fico feliz pela internet possibilitar compartilhar idéias com gente de todo tipo.

Sobre sua viajem.... excelente recordação, muito bom seu post e suas explicações. Eu planejo fazer uma viajem ao velho continente também assim que possível (talvez ano que vem!)e pode ter certeza que você está sendo de grande ajuda...

No mais um abraço e muitos sucessos!

eduardospohr disse...

@Daniel,

Que bom que vc está curtindo o conteúdo do blog. Meu objetivo é mesmo tentar passar alguma experiência bacana às pessoas.

No caso de Praga, é exatamente isso. Na época, tive a oportunidade de conhecer a Europa sem pagar passagem de avião, já que o meu pai é aviador. Nada mais justo que eu dividisse a experiência com o maior número possível de pessoas. Agora, com este espaço, finalmente tive a oportunidade.

Vou me esforçar para manter a qualidade dos posts.

Um abraço e obrigado pelo comentário e pela presença :-)